Ômega 7: Você já ouviu falar? Então conheça essa novidade e saiba de todos os seus benefícios.

Ômega 7_POST

Ômega 7: Você já ouviu falar? Então conheça essa novidade e saiba de todos os seus benefícios.

2 Comentários
|

Ômega 7 é um ácido graxo mono-insaturado presente em óleo de espinheiro amarelo, em uma proporção de 28%, e é com este óleo vegetal que se tem a maioria dos estudos.

Diferenças entre o Omega 3, Omega 6 e Omega 7
Omega 3 Omega 6 Omega 7
Nome O ácido linolênico O ácido linoléico Ácido palmitoléico
Amida de ácido graxo Ácido graxo poliinsaturado Ácido graxo poliinsaturado Ácidos graxos monoinsaturados
Fontes
Alimentação
Os peixes oleosos, linho, sementes de abóbora. O óleo de milho, girassol, prímula, borragem. Animais, óleos vegetais e marinhos óleos.
Funções – Antiplaquetária.
– Diminui o LDL e aumenta o HDL.
– o desempenho escolar da Ajuda.
– Melhora o fluxo sanguíneo.
– Diminui o LDL e aumenta o HDL.
– Ajuda na melhora dos sintomas pré-menstruais.
– antiplaquetária.
– Regeneração de pele (eczema, dermatite atópica e psoríase) e membranas mucosas (úlceras pépticas e affectations orais, inflamação ou urogenital afetações)
– antioxidantes.

OBS:. A partir da tabela acima, podemos concluir que, enquanto Omega 3 e Omega 6 são recomendados para melhorar o sistema cardiovascular, circulatório e desempenho escolar, enquanto o ômega 7 é mais específico para ajudar na regeneração e nutrição da pele.

Indicações e/ou partes do corpo em que melhor serve o ômega 7:Pele: eficaz em casos de dermatite atópica, eczema e psoríase.

– Mucosa

– Pode ser útil para toda a mucosa gástrica (casos de úlcera péptica, úlcera gástrica e duodenal)

– A mucosa oral também pode se beneficiar de suas propriedades (estomatite ulcerativa) Benéfico também para a “Síndrome da Boca Seca” (xerostomia) Este sentimento é devido à disfunção das glândulas salivares, fazendo com que elas não secretam o suficiente para umedecer a cavidade oral. Este ressecamento anormal provoca dificuldade para engolir e falar.

– Pode ser recomendada em casos de prurido e de secura da mucosa vaginal (feita por via oral e aplicações externas) também pode ser útil em casos de inflamação do colo do útero, vulvite, etc.

– Alguns pacientes com câncer podem ter problemas com a sua mucosa (esofagite, vulvitis, inflamação perianal, dermatites), especialmente devido à irradiação. Você pode consultar o seu médico sobre a possibilidade de tomar ômega 7.

– A síndrome de Sjögren, que se caracteriza pela inflamação crônica das glândulas salivares e lacrimais, diminuindo sua secreção, dando olhos e boca seca.

As funções realizadas nestas zonas:

– Anti-inflamatórios: em determinadas condições da pele tais como dermatite, eczema e psoríase. Também alterações da mucosa como úlceras gástricas, pépticas, vaginite.
– Analgésico suave
– Reforça o sistema imunitário.
– Antioxidante: protege contra os radicais livres
– Nutre a pele e mucosas.

OBSERVAÇÃO:

O ômega 7 foi utilizado na maior parte dos testes e os tratamentos sob a forma de óleo hippophae. É muito importante ter um óleo sem aditivos químicos e sem qualquer componente adicional.
O óleo buckthorn mar é normalmente presente no óleo e embalagens para uso externo como contas ou cappings para tomada doméstica. vendidos em lojas de produtos naturais e farmácias.
Como sempre comentam que cada caso é diferente e sempre será o médico ou especialista para determinar se você precisa deste ou daquele produto e também determina a dosagem.
Em todos os casos, recomendamos consultar o seu médico, terapeuta ou outro profissional de saúde qualificado. A informação contida neste artigo é apenas para fins informativos. Fonte: enbuenasmanos.com

SAIBA MAIS SOBRE O ÔMEGA 7 
 

Muitas pessoas já têm consciência dos imensos benefícios dos óleos ômega-3, nomeadamente do EPA e do DHA, mas são muito poucas as que já ouviram falar acerca de ômega-7 o qual proporciona ganhos de saúde únicos.

Quando me refiro a ômega-7, refiro-me exclusivamente ao ácido graxo palmitoleico, o qual apaga a maioria dos malefícios do síndroma metabólico, competindo eficazmente e a baixo custo com fármacos caros e poderosos, cheios de graves efeitos secundários.

O ômega-7 pode reduzir o risco de diabetes tipo II, prevenir a formação de placa de aterosclerose, aumentar o “bom” colesterol, e diminuir os biomarcadores da inflamação persistente, como a proteína C reativa a qual está associada a enfarte e AVC (trombose cerebral). Também diminui significativamente o risco de s. metabólico (HTA+TG elevados+adiposidade central+mais aumento do “açúcar”).

Enquanto os polinsaturados ômega-3 estão envolvidos no fabrico de eicosanoides anti-inflamatório (hormonas tipo prostaglandinas e leucotrienos), o mono saturado ômega-7 tem um mecanismo de ação totalmente diferente, funcionando como molécula de sinalização – lipoxina – que se associa a uma eficaz gestão e armazenamento de energia. A ingestão de pequenas quantidades de ômega-7 tem repercussões profundas na resposta corporal à ingestão de energia (alimentos), e na gestão do armazenamento e utilização de energia, batendo-se mano a mano com drogas poderosas usadas para combater o colesterol e a diabetes. O ácido palmitoleico combate:

Glicose elevada e resistência à insulina
Alterações nos lípidos (triglicerídeos altos e HDL baixo)
Tensão arterial elevada
Obesidade central (corpo em maçã)
Inflamação crônica

A função endotelial que governa a circulação sanguínea nas nossas artérias é positivamente afetada pela ingestão de ômega-7. A placa de ateroma é 47% nais baixa em quem consome este óleo. Na realidade, cerca de 210 mg de ômega-7 são o suficiente para fazer diminuir a proteína C reativa em 73%. Podemos encontrar este óleo nas nozes macadâmia, nas bagas do espinheiro-do-mar ou espinheiro amarelo, e em cápsulas como suplemento alimentar.

Fonte: vitamaissaude