Nunca mais compre esses sabonetes. Para o bem da sua família.

Nunca mais compre esses sabonetes. Para o bem da sua família.

0 Comentários
|

Ontem explodiu como uma bomba nos Estados Unidos, a notícia de que o FDA, órgão sanitário máximo daquele país, recomendou a retirada do mercado de sabonetes antissépticos contendo 19 produtos químicos.

E como daqui que esse assunto chegue ao país, muita gente pode continuar colocando seus filhos sob risco, li todo o documento e resumi aqui nesse post o que você precisa realmente saber e fazer.

O problema é que na lista, estão os produtos de uso mais frequente na indústria e junto com a promessa de eliminar 99,9% das bactérias, que você já sabe que não é algo bom, vem um risco importante do desenvolvimento de alterações hormonais na tireóide, problemas musculares e até mesmo um risco aumentado de câncer de pele e boca (estudos com evidências mais fracas).

A questão é que a medida que foram surgindo os questionamentos, a indústria foi sorrateiramente fazendo trocas, mas pelo tamanho da lista e pelos potenciais problemas também das substâncias que os substituíram, no documento técnico , o FDA além de listas os 19 a serem banidos, solicitou que as indústrias em até 1 ano, fornecessem estudos e dados que comprovassem a segurança dos novos produtos.

A maioria dos sabonetes bactericidas no Brasil tem os químicos banidos!

Primeiro eu saí de casa, entrei no supermercado e no meio da sopa de letrinhas dos ingredientes dos dois sabonetes bacterianos mais vendidos, estava lá um destes químicos banidos (o número 2 da lista abaixo). Aí eu resolvi fazer uma pesquisa rápida na internet, dos vários sabonetes bactericidas do mercado brasileiro e lá estavam os químicos banidos. É para fazer pensar e agir! Como minha intenção é informar e não assustar, quero que você conheça a lista das substâncias químicas, mas quero principalmente você entenda a forma mais simples de se livrar do problema.

A bendita(#sqn!!!) lista:

  1. Triclosan (o mais famoso e comum)
  2. Triclocarban (o segundo mais famoso)
  3. Triple dye 
  4. Tribromsalam
  5. Oxicloroseno sódico
  6. Amiltricresóis secundários
  7. Fenol (menos de 1,5%)
  8. Fenol (mais que 1,5%)
  9. Cloreto de Metilbenzetônio
  10. Produtos com Iodo (6), incluindo PVPI 5 a 10%
  11. Hexilresorcinol
  12. Hexaclorofeno
  13. Fluorosalan
  14. Cloflucarban

E quais estariam fora da lista? (considerados seguros até prova em contrário):

  1. Álcool
  2. Fosfato de Benzalcônio
  3. Cloreto de cetilpiridínio
  4. Gluconato de Clorexidina
  5. Álcool isopropílico
  6. Polihexametileno de biguanida
  7. Ácido salicílico
  8. Hipoclorito de sódio
  9. Óleo essencial de tea tree
  10. Combinação de óleo vegetal, sequestrante de fosfato e trietanolamina

Mas o que me chamou a atenção de verdade no documento do FDA foi a seguinte frase:

“Não há nenhum dado que demonstre que os sabonetes bactericidas de venda livre são melhores para prevenir doenças do que lavar as mãos com sabonete comum”

Quem me acompanha há algum tempo por aqui, já sabe que, na temática da vitamina S, já falava sobre isso. Além de não serem eficazes, os bactericidas podem induzir resistência bacteriana e causar uma séria mudança na flora da pele, desregulando a nossa resposta imunológica.

A solução, então, é mais simples do que parece: compre sabonetes comuns! Todos aqueles que vierem com aquela balela na embalagem de eliminar 99,9% das bactérias, não devem sequer entrar mais nos seus carrinhos. Obviamente, no caso de uma infecção cutânea ativa, o médico poderá prescrever algum sabonete bactericida de venda exclusivo sob prescrição médica, sem os ingredientes acima listados.

Como você deve ter entendido, esse é um assunto muito sério e de solução não tão complicada, então peço que repasse essa informação aos amigos e familiares. Minha única missão é proteger a saúde das famílias, especialmente das nossas crianças.

Fonte: pediatradofuturo