Medicina Integrativa: é mesmo segura?

Medicina Integrativa é mesmo segura_post

Medicina Integrativa: é mesmo segura?

0 Comentários
|

Ela é sem dúvida a medicina do futuro, mas a Medicina integrativa (MI) é mesmo segura?

Hospitais renomados como Sírio Libanês e Albert Einstein já tem Departamento de Medicina Integrativa (MI) na área de oncologia.

A Medicina Integrativa já é uma política pública de saúde no Brasil regulamentada desde 2006. Alguns postos do SUS, e até CAPs (Centro de Apoio Psicossocial), já oferecem Práticas Integrativas em seus atendimentos.

E o que dizer do prestigiado Hospital Albert Einstein que tem até uma pós-graduação no tema! Seguindo a tendência de universidades inovadoras como UNICAMP, USP e Unifesp, para citar algumas, que já se renderam à disciplina.

O que é a tal Medicina Integrativa?

Muita gente confunde com a Medicina Alternativa, e se você quer saber como cuidar do seu bem mais precioso você precisa conhecer a tal MI, porque ela veio pra ficar, é muito segura, humanizada e tendência no mundo todo, ainda bem!

Então assista esse curto episódio do ANA TV – Saúde da Mente onde explico direitinho o que é essa Medicina Humanizada que salvou a minha vida.

Quando eu implementei seus princípios no meu tratamento da depressão, ansiedade, pânico, fobia social, compulsão, para citar alguns dos transtornos mentais que tive, foi quando eu me curei.

Infelizmente, a Medicina Integrativa ainda não é a oficial e muitos profissionais da saúde estão defasados e não a conhecem.

Charlatanismo?

Às vezes, por pura ignorância, por falta de estudo mesmo, esses profissionais falam que Medicina Integrativa é até charlatanismo.

Se fosse assim, as universidade e os hospitais mais renomados do Brasil, como Albert Einstein e Sírio Libanês, estariam cometendo crime!

Mas crime é os médicos não adotarem a Medicina Integrativa para o tratamento na saúde mental, deixando milhões de pacientes amargando uma péssima qualidade de vida, e em alguns casos até a morte, porque a medicina convencional foca na doença e nos sintomas, se esquecendo do ser humano por trás dela.

Crime é não nos mobilizarmos para transformar esse quadro.

Como mudar o paradigma na Saúde Mental

  1. Foque em despertar seu potencial de saúde, ao invés de ficar remoendo a doença! Foque no seu curador interno, inerente a qualquer ser humano;
  2. Faça a simples pergunta: “Como gero saúde?”, ao invés de fazer como os médicos ultrapassados fazem com você, te entupindo de remédios tarja preta que não resolvem seu problema
    Torne-se impaciente! Se informe, se autoeduque;
  3. Coloque-se de igual pra igual com respeito, claro, ao invés de se colocar como paciente submisso diante do super “Doutor-autoridade-máxima-que sabe-o-que-é-melhor-pra-você”;
  4. Aplique os princípios da medicina integrativa por conta própria! Basta você buscar combinar tratamentos, fazer terapias e mudar seu estilo de vida inserindo práticas que geram saúde, como exercício físico, meditação e yoga;

E por favor, páre de ser omisso quando o assunto é seu bem mais precioso! Seja dono da sua vida, tome as rédeas.

Os profissionais da saúde estão aí pra te jogar a corda. Usá-la pra se enforcar ou agarrá-la pra você sair desse poço, é escolha e trabalho só seu!!!

Acredito que quando os pacientes começarem a buscar a Medicina Integrativa, isso forçará a mudança de atitude dos profissionais ultrapassados, que pra não perder clientes, terão que se reciclar.

Percebe que você tem o poder de mudar a saúde mental no Brasil?

Ao abraçar a abordagem da Medicina Integrativa você estará não só se ajudando, mas ajudado milhões de pessoas que sofrem como você a ter a possibilidade de uma vida fora desse poço sem fundo que são os transtornos mentais.

Fonte: Ana Maria Saad