Alimentos com conceito Superfood

Alimentos com conceito Superfood

Alimentos com conceito Superfood

Comentários Off
|

O conceito de superfood ou superalimentos vem se tornando cada vez mais popular, através das mídias e consumidores, quando se fala em alimentação saudável e saúde. E isso acontece devido ao crescente interesse da população dos países desenvolvidos por alimentos que contenham nutrientes ou compostos bioativos com propriedades para prevenir ou tratar doenças.

A denominação de superalimento não é um termo científico como alimento funcional, e sim criado, pelo mercado, para destacar um alimento que contenha elevada densidade nutricional, seja benéfico para a saúde e que possua mais benefícios em comparação a outros alimentos.

Distinguir a verdade dos alimentos ditos superfoods daquilo que é publicidade se faz necessário a partir de evidências científicas. De fato, a ciência comprova que alguns alimentos e bebidas possuem propriedades nutricionais que merecem destaque. Veja a seguir alguns superalimentos:

Quinoa: fonte de proteína, a quinoa é excelente alternativa em dietas restritivas como a vegana, de doença celíaca ou sensibilidade ao glúten. Possui propriedades anti-inflamatórias por conter ômega-3 e 6, assim, tornando-se aliada na prevenção contra doenças cardiovasculares. As vitaminas do complexo B estão presentes na quinoa e atuam no funcionamento do sistema nervoso, manutenção muscular e síntese de hormônios. É rica em minerais como cálcio e zinco, com isso, auxiliando no fortalecimento do sistema imunológico, além da quantidade de fibras que favorecem o peristaltismo intestinal e sensação de saciedade, o que ajuda no emagrecimento.

Linhaça: rica em fibras, a linhaça promove a produção de ácidos graxos de cadeia curta, dessa forma, incentiva a proliferação de bifidobactérias no intestino e auxilia no controle de índice glicêmico e insulinêmico em portadores de diabetes. Possui ação anti-inflamatória por conter ALA (ácido alfalinoleico), auxiliando em quadros de obesidade, hiperglicemia e doenças autoimunes. Contém lignanas, substância relacionada à prevenção de câncer de mama.

Açaí: rico em antocianinas, proantocianidina, vitamina E e outros fitoquímicos, o açaí apresenta ação antioxidante, por isso atua no combate a radicais superóxidos que causam envelhecimento precoce e estresse oxidativo ao organismo. Considerada uma fruta energética, o açaí contém alto teor de lipídios, como ômega-6 e 9, que proporcionam o benefício de ser um anti-inflamatório no perfil imunológico e na dislipidemia. Possui, também, carboidratos, proteínas, fibras e minerais, como cálcio, ferro e potássio.

Mirtilo: possui flavonoides que lhe conferem a propriedade de auxiliar na prevenção de doenças cardiovasculares, melhora a circulação periférica e funcionamento cognitivo. Contém antocianinas que diminuem o estresse mitocondrial e protegem a retina contra raios ultravioletas. Sua ação antioxidante auxilia a diminuir a inflamação, neutralizar o estresse oxidativo e modular interações e expressão de genes associados ao processo de doenças como câncer e osteoporose.

Cacau: rico em polifenóis e flavonoides, o cacau apresenta poder antioxidante e auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares. Contém triptofano, que estimula os níveis de serotonina e a secreção de endorfinas, dessa forma, contribuindo para a sensação de bem-estar. Apresenta quantidade significativa de magnésio, ferro, cromo, zinco, manganês e cobre. Para adquirir os benefícios que oferece, é necessário o consumo de chocolate amargo com alto teor de cacau, de preferência, no mínimo, 65%.

Gengibre: com diversos benefícios terapêuticos, destacam-se suas propriedades antioxidante e anti-inflamatória devido ao gingerol, substância que atua como bactericida e fungicida. Possui ação termogênica e auxilia na melhora do desempenho do sistema digestório, respiratório e circulatório em razão de seus componentes medicinais: cafeno, felandreno, zingibereno e zingerona. A raiz ainda é composta por vitamina B6, potássio, magnésio e cobre.

Romã: rica em taninos elágicos, derivados de ácido gálico, flavonoides, glicosilados, antocianinas, glicosídeos e ácidos graxos, a romã desempenha ação antioxidante e atua na redução do colesterol LDL, auxilia no tratamento de doenças cardiovasculares, osteoporose e reforça o sistema imunológico na prevenção de alguns tipos de cânceres.

Azeite de oliva: rico em gorduras monoinsaturadas e antioxidante tocoferol, o azeite contribui para a melhora do perfil lipídico, auxiliando na redução de LDL e aumento de HDL. Apresenta ação anti-inflamatória e atua na prevenção e tratamento de diabetes, osteoporose, proteção do sistema neurológico e prevenção de alguns tipos de cânceres.

Fonte: Revista Nutri Online